A internet pode (literalmente) quebrar?

Você tem percebido que sua conexão de internet está mais lenta? Se respondeu que sim, você não está sozinho.

Mesmo com o menor uso corporativo da rede, o consumo de dados aumentou 30% durante o isolamento social imposto pela pandemia de coronavírus.

É muito mais gente assistindo filmes, séries, jogando e fazendo teleconferências, e essa sobrecarga acaba tornando a conexão mais demorada.

Mas a internet vai aguentar essa mudança no perfil de consumo?

Especialistas em telecomunicações garantem que sim. Mas, além da lentidão, atender toda a demanda já está levando à redução da qualidade das transmissões.

Em especial as redes móveis sofrerão, já que, ao contrário da rede de internet fixa, baseada em fibra ótica ou em cabos, a celular não tem um meio físico – por isso fica mais limitada.

Para driblar esse problema, as operadoras de telefonia celular estão solicitando a autoridades municipais que autorizem licenças especiais para instalação de mais antenas.

Quer saber tudo sobre esse assunto? Leia na reportagem do 6 Minutoshttps://bit.ly/3ejr08U
A maior recessão em 120 anos. É essa a previsão do Banco Mundial para a economia brasileira em 2020: a entidade divulgou ontem que espera que o nosso PIB (Produto Interno Bruto) tenha uma retração de 5% neste ano, pior do que a já catastrófica queda média projetada para América Latina e Caribe (4,6%).

Para o ano que vem, a estimativa é de avanço de apenas 1,5% da atividade, seguido por crescimento de 2,3% em 2022: https://bit.ly/34x5E3J
Entre no grupo do 6 Minutos e receba direto no WhatsApp as principais notícias do dia: https://6minutos.com.br/whatsapp
O fato é que a pandemia já reduziu a renda de metade dos brasileiros, como mostra um levantamento feito pelo Instituto Locomotiva: https://bit.ly/3aa7Hfi
A quarentena parece não valer para a construção civil: pela cidade, as obras de novos prédios continuam a todo vapor.

6 Minutos explica: as incorporadoras conseguiram autorização para manter projetos, já que o ambiente não requer trabalhadores atuando próximos uns dos outros. Entre as medidas adotadas, estão organização de turnos e aferição de febre dos trabalhadores diariamente.

Mas o setor não vai sofrer com a pandemia? Vai. Investimentos e novas compras de terreno, por exemplo, estão sendo suspensos. Além disso, a expectativa é de aumento dos distratos (quando o cliente cancela a compra de um imóvel e paga uma multa sobre o valor quitado até então).

A avalição é que haverá uma série de renegociações, para se encontrar um meio termo entre empresas e consumidores.

Esse tema te interessa? Então saiba tudo aqui: https://bit.ly/3aa4ZGF
A maioria dos restaurantes e bares estão fechados, e muita gente trabalhando de casa. Nesse cenário, o mundo dos benefícios de alimentação concedidos pelas empresas para o almoço dos funcionários vem mudando drasticamente. A utilização de vales refeição vem sendo realizada nas plataformas de delivery, como iFood, Rappi e Uber Eats.

Ao mesmo tempo, há um forte movimento de restaurantes que estão passando a aceitar essa forma de pagamento e se cadastrando nesses sites. “Essa crise está servindo para uma transformação digital desses negócios, que buscam se adequar ao usuário”, afirma Willian Tadeu Gil, diretor de Relações Internacionais da Sodexo Benefícios e Incentivos.

Leia mais aqui: https://bit.ly/2Xuqcs3
Você sabia que o consumo residencial de energia é menos da metade de toda a carga? E que o fechamento de comércio e de parte das indústrias já levou a uma queda de 18% no consumo total? Para evitar que esse problema, aliado às perdas por causa da inadimplência, prejudique o setor, o governo está preparando um pacote de ajuda: https://bit.ly/39YFub2
Luz no fim do túnel para a guerra do petróleo. Opep (Organização dos Países Exportadores de Petróleo), Rússia e outros países produtores concordaram em cortar a produção da commodity em um volume recorde, representando 10% da oferta global. Medidas para conter a disseminação do coronavírus destruíram a demanda por combustível e reduziram os preços do petróleo, pressionando os orçamentos dos produtores: https://bit.ly/2RxIdSl
Para encerrar, uma boa notícia. O Itaú Unibanco deve anunciar hoje uma doação de R$ 1 bilhão para o combate ao coronavírus. A informação foi publicada pela Folha de S. Paulo e confirmada ao O Estado de S. Paulo pelo banqueiro Roberto Setúbal: https://bit.ly/2xfeg2M